NOSSA



Nós cremos:

1. que a estrutura teológica necessária para entendermos todos os tratos de Deus com a humanidade se encontra nas alianças divinas reveladas nas Escrituras;

 

2. na inspiração plena e total da Bíblia - única palavra infalível de Deus - e na sua autoridade máxima em assuntos de fé e prática (II Tm.3:16; I Co.2:13);

 

3. na Divindade Eterna revelada em no único Deus existente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; distintos mas indivisíveis (Mt.28:19; Jo.10:30; IICo.13:13; IJo.5:7);

 

4. na criação, prova e queda do homem tais como registradas na Bíblia; na corrupção total do ser humano pelo pecado, e em sua incapacidade de atingir a justiça divina (Rm.5:12,19-21);

 

5. no Senhor Jesus Cristo, o único Salvador dos homens, concebido pelo Espírito Santo, nascido da virgem Maria, plenamente Deus e plenamente homem. (Lc.1:26-35; Jo.1:18; Is.7:14; 9:6);

 

6. que Jesus Cristo morreu por causa dos nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia e, pessoalmente, apareceu aos seus discípulos. (I Co. 15:1-4; Rm.4:25);

 

7. na ascensão corporal de Jesus Cristo aos céus após sua ressurreição, em sua exaltação e em sua segunda vinda pessoal, literal e corporal para a igreja (Jo.14:2-3; I Ts.4:13-18)

 

8. na salvação de pecadores pela graça, por meio do arrependimento dos pecados e fé na obra perfeita e suficiente realizada por Jesus Cristo na cruz, pela qual obtemos perdão dos nossos pecados (Ef.2:8-9; Hb.9:12);

 

9. na ressurreição dos mortos. Assim como Jesus Cristo foi ressuscitado da morte num corpo glorificado, também cremos que um dia todos os crentes em Cristo ressuscitarão em corpos glorificados (I Co.15:35-44; Fp.3:20-21; I Ts.4:13-18);

 

10. na necessidade do batismo nas águas por imersão, em nome da Divindade Eterna, para cumprimento da ordem de Cristo (Mt.28:19; At.2:36-39; 19:1-6);

 

11. no batismo do Espírito Santo como experiência subsequente à  salvação e com a evidência do falar em outras línguas. (At.2:1-4; 8:14-17; 10:44-46; 19:6; Gl.3:14-15);

 

12. na operação dos dons concedidos pelo Espírito Santo nos dias de hoje, conforme manifestos na Igreja Primitiva. (I Co 12-14; livro de Atos);

 

13. em uma vida cheia do Espírito Santo, separada do sistema mundano e aperfeiçoada com santidade e temor de Deus, expressando a fé  cristã (Ef.5:18; II Co.6:14; 7:1; Gl.5:16-25);

 

14. na cura divina de enfermidades físicas, tal como relatado nos evangelhos e praticado na Igreja Primitiva. (Mt.8:16-17; Mc.16:17-18; At.4:30; Rm.8:11; I Co.12:9; Tg.5:14 );

 

15. na Ceia do Senhor, para todos os verdadeiros crentes. (ICo.11:22-32).

 

16. que o casamento é  uma instituição divina, celebrada entre um homem e uma mulher como uma aliança para toda a vida. (Gn.2:18-25; Ml.2:13-16; I Co 7:1-5; Ef.5:25-27,32 );

 

17. na vida eterna para os crentes e no castigo eterno para os incrédulos. (Jo.5:24; 3:16 ) ( Mc.9:43-48; II Ts.1:9; Ap.20:10-15);

 

18. na realidade e personalidade de Satanás e seus anjos e no seu julgamento eterno.  (Mt.25:41; Ap.20:15)

 

19. que o formato bíblico de governo da Igreja é um presbitério plural, com um ministro sênior qualificado considerando sua vida espiritual, seu caráter, sua vida familiar e habilidade de governo. (I Tm.3);

 

20. que a Igreja local, em seu estado maduro, é  completamente autônoma, ou seja, ela se auto-governa, auto-sustenta e auto-propaga.